Livro grátis - Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos - Pastor Marcio Junior

Livro grátis – Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos

E-book Um chamado Ao Arrependimento
Livro Grátis – Um chamado ao Arrependimento
9 de maio de 2020
E-book Rendendo Graças ao Senhor
Livro Grátis – Rendendo Graças ao Senhor
7 de junho de 2020

Livro grátis – Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos

Ebook Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos

Uma reflexão sobre o Salmo 77 Levando nossos questionamentos ao Senhor

Clique no link para download.

E-book Apresentando ao Senhor nossos Questionamentos | Uma reflexão sobre o Salmo 77

Nossos questionamentos ao Senhor. Este grito angustioso é lavrado em termos de experiência pessoal, mas expressa obviamente um senso conjunto de perplexidade e angústia. O Salmo nada fala sobre perigo, perseguição, dificuldade, enfermidade, ou coisas semelhantes (contrastar com #Sl 143). A raiz dessa angústia, que aflige o salmista, é simplesmente a contínua ausência de qualquer sinal de compaixão divina (7-9). Quer esse poema se tenha originado durante os anos tristes do exílio, ou durante algum outro período anterior, é incerto. Se Habacuque incorporou em seu poema, no fim de seu livro (#Hc 3), algumas das características deste Salmo, então ele é anterior à reforma de Josias. Por outro lado, o salmista talvez tenha desenvolvido seu tema tirando-o do livro do profeta.

a) Seu desânimo (1-9)

A repetição da primeira frase é tornada mais enfática pela omissão de um verbo no original hebraico: “Minha voz a Deus, e clamaria em voz alta; minha voz a Deus…” A segunda frase do vers. 2, “minha mão se estendeu de noite, e não cessava”, apresenta de modo enfático a angústia de alma, pois pinta uma pessoa enferma e inquieta a chamar alguém à noite, mas tudo em vão, para que lhe venha dar conforto. Em realidade, a miséria da alma se originou numa meditação sobre Deus (3), mas não vinha o pronto sossego do sono, pois Deus parecia manter os olhos bem abertos, como se fosse um guarda no seu posto de vigia (4). Enquanto o salmista pondera sobre os dias antigos de seu povo, os dias da antigüidade,  com seu panorama do providencial cuidado de Deus, e relembra os tempos quando podia cantar até mesmo à noite, sente-se constrangido a buscar resposta para as presentes circunstâncias, em que até parece que o cuidado e a aliança de Deus desapareceram. As seis interrogações dos vers. 7-9 sondam a causa da negligência de Deus para com Israel, e expressam sua profunda agitação de coração e mente. Para sempre (7) é a mesma palavra hebraica traduzida como tempos passados (5). Uma palavra diferente é usada no vers. 8. A pergunta subentendida é se a rejeição da parte do Senhor será tão prolongada como os séculos passados de Sua presença.

F. Devidson





O lamento é entremesclado de louvor neste salmo. Os primeiros versículos (1-9) constituem a 1alnentação de um indivíduo, que talvez represente a nação em aflição. Os versículos restantes (10-20) silo palavras de louvor que claramente complementam a seção introdutória. Os versículos 16-19 exprimem um estado de espírito diferente e exibem um estilo diferente e um ritmo do restante do salmo.

1-3. A Perplexidade do Seu Espírito.

Elevo a Deus a minha voz … a minha alma recusa consolar-se. Nessas cláusulas a profunda angústia do salmista e a sua ansiedade foram vivamente descritas. Sua mão estendida procura a Deus, mas não encontra conforto. Suas meditações e pensamentos só sobrecarregam o seu espírito.

4-9. Sua Busca de Respostas.

O meu espírito perscruta. A preocupação e a ansiedade ainda governavam sua vida de modo que ele não podia dormir. Ele contava os dias do passado, em vez de contar ovelhas. Finalmente, ele proferiu as seis perguntas que o deixavam perplexo e o perturbavam. Ele não conseguia entender por que o Deus de misericórdia e compaixão podia permanecer silencioso e inativo.

10-15. Solução na história para nossos questionamentos.

Recordo os feitos do Senhor. Recordando as maravilhas de Deus no passado, o salmista sente esperanças. Deus provou ser alguém capaz de feitos gloriosos; Ele mostrou o Seu poder e redimiu os tubos de Israel. O pedido não pronunciado é que Deus agiria assim novamente.

16-19. Sua Confiança no Poder de Deus.

Viram-te as águas . . . e temeram. Estes versículos, que ocupam o lugar de um hino dentro de um hino, diferem grandemente no espírito e na forma do restante do poema. Embora a nota dominante desta seção saia o poder de Deus sobre a natureza em geral, a posição da passagem, entre os versículos 15 e 20, relaciona-a com o livramento no Mar Vermelho.

20. Sua Certeza da Liderança Divina.

O teu povo, tu o conduziste. Este versículo enuncia novamente o pensamento do versículo 15, com a implicação vigorosa de que Deus pode fazê-lo novamente.

Nossos questionamentos simplesmente desaparecem diante da certeza que o Senhor está nos guiando.

Moody

Creio que você vai gostar também do E-book Um Chamado ao Arrependimento

Até a próxima! Que Deus te abençoe.

Siga-me nas redes sociais:



7 Comments

  1. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

  2. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

  3. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

  4. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

  5. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

  6. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

  7. […] Creio que você vai gostar também do E-book Apresentando ao Senhor Nossos Questionamentos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *