Vendo além da figueira - com Pastor Marcio Junior

Vendo além da figueira

Ele faz tudo muito bem
20 de agosto de 2019
Sermão
Migalhas
20 de agosto de 2019

Vendo além da figueira

Vendo além da figueira

Vendo além da figueira é uma mensagem sobre o encontro de Jesus com Natanael e a transformação que ele viveu após isso.

Filipe encontrou Natanael e lhe disse: “Achamos aquele sobre quem Moisés escreveu na Lei, e a respeito de quem os profetas também escreveram: Jesus de Nazaré, filho de José”. 46 Perguntou Natanael: “Nazaré? Pode vir alguma coisa boa de lá? ” Disse Filipe: “Venha e veja”.
 47 Ao ver Natanael se aproximando, disse Jesus: “Aí está um verdadeiro israelita, em quem não há falsidade”.
 48 Perguntou Natanael: “De onde me conheces? ” Jesus respondeu: “Eu o vi quando você ainda estava debaixo da figueira, antes de Filipe o chamar”.
 49 Então Natanael declarou: “Mestre, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel! “
 50 Jesus disse: “Você crê porque eu disse que o vi debaixo da figueira. Você verá coisas maiores do que essa! “
 51 E então acrescentou: “Digo-lhes a verdade: Vocês verão o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem”.

João 1:45-51

Filipe era conterrâneo de Pedro e André

Há não muito tempo os galileus haviam tido uma amarga experiência com um movimento messiânico impotente, quando Judas, o “Galileu” (At 5.37), co-fundador do partido dos zelotes,121  tentou desencadear um levante contra o censo fiscal de Quirino (Lc 2.1s). Será que agora viria novamente de Nazaré alguma coisa “boa” como essa?

1. Vem e vê, diz Filipe. Muito em breve Natanael estaria vendo além da figueira

2. Mas Jesus o Viu primeiro

Filipe, porém, encontra a única resposta que pode ser dada nessa situação, dizendo com brevidade e perspicácia: “Vem e vê!” Ele é capaz de fazê-lo, porque a sua própria convicção total lhe confere a liberdade para uma resposta dessas. É justamente uma certeza plena que nos liberta de todo o radicalismo, de comprovações e controvérsias. Ela nos propicia a cordialidade convidativa que está na palavra de Filipe. Quando eu mesmo estou convicto posso pedir: Venha e veja pessoalmente. Não são as teorias nem um pensamento preconcebido, tampouco um pensamento aparentemente alicerçado na Bíblia que decidem sobre a realidade. As realidades visam ser vistas e apreendidas.

Jesus não tem nenhum interesse num entusiasmo rápido, emocional. Como israelita, Natanael tem o direito de perguntar justamente a partir do conhecimento bíblico, desde que realmente pergunte e não apenas rejeite, desde que de fato “venha e veja”. Jesus não o critica por causa de suas dúvidas e vai ao seu encontro com tranquila consideração.

Será que Natanael percebe isso como uma tentativa falsa de conquistá-lo? Será que em sua resposta: “Donde me conheces?” há uma defesa? Ou será apenas surpresa que o faz perguntar assim?

Então, porém, ele tem a possibilidade de “ver”, conforme lhe prometeu Filipe, e mesmo assim vê de forma bem diferente do que Filipe possa ter imaginado. Ele pode “ver” com que olhar Jesus “vê”. “Respondeu-lhe Jesus: Antes de Filipe te chamar, eu te vi, quando estavas debaixo da figueira.” João não nos disse, tampouco foi essa sua intenção, o que Natanael fazia debaixo da figueira naquela hora. Por isso tampouco nós pretendemos sabê-lo nem nos estender em conjeturas a respeito Essas coisas da vida pessoal devem ficar ocultas. E o evangelista não tem interesse em mistérios da história da alma de Natanael. Seu interesse é a glória de Jesus. Jesus nos “vê” também quando pensamos estar totalmente escondidos sob a densa copa de uma árvore, e vê nosso agir conjunto. É isso que nos é dado saber, quer estejamos assustados ou confortados, conforme o necessitamos.

“Então lhe respondeu Natanael: Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel!” Natanael foi vencido. Reconhece Jesus de verdade. Porém o reconhece porque foi reconhecido por Jesus. Assim Jesus dirá mais tarde expressamente a seus discípulos que eles não escolheram a ele, mas que ele os escolheu (Jo 15.16). Por isso, no testemunho bíblico o reconhecimento por Deus sempre antecede o nosso reconhecimento (Jr 1.5; Gl 1.15; 4.9).

“Jesus respondeu e disse: Porque te disse que te vi debaixo da figueira, crês? Pois maiores coisas do que estas verás.” Quanto está contido nessa resposta de Jesus! Jesus não está satisfeito com o simples fato de que aqui uma pessoa que tinha dúvidas foi superada e que agora crê. Não há o menor vestígio de um triunfo nessa resposta. Parece antes que ele deseja imediatamente conduzir Natanael adiante. A base para a fé de Natanael é estreita demais. A longo prazo não basta uma experiência pessoal isolada.

Quando diz, pode vir algo bom de Nazaré, Natanael tinha uma visão não apenas preconceituosa mas também limitada. Jesus lhe diz, pois maiores coisas que essa verás, visão ampliada por Cristo é um dos resultados de seguir ao Senhor. Que nossa visão também seja ampliada pelo Mestre para que possamos ver coisas maiores ainda.

Você também vai gostar da mensagem Migalhas acesse agora.

Pr. Márcio Júnior

Siga-me nas redes sociais:





Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *