O que é pregação expositiva? - Pastor Marcio Junior

O que é pregação expositiva?

7 Erros que o pregador deve evitar
7 erros que o pregador deve evitar
30 de novembro de 2019
Manjedoura Natal
O coral de Natal
24 de dezembro de 2019

O que é pregação expositiva?

Pregador Senior

Você sabe o que é uma pregação expositiva? Aprenda o que é e veja algumas dicas para usá-la bem

Bem, neste post você aprenderá sobre a pregração expositiva e verá algumas dicas para empregá-la de maneira interessante.

Aprenda a pregar

O que é pregação expositiva?

A pregação expositiva significa exibir o ponto central do texto bíblico. Dizer exatamente aquilo que o texto diz e entender o que foi dito a primeira audiência que leu aquele texto. Certamente a aplicação faz parte de um bom sermão, mas não podemos dizer aquilo que o texto bíblico não fala apenas para alcançar o nosso objetivo de aplicar a mensagem aos nossos ouvintes.

Pregações expositivas exigem muito do pregador, pois ele precisa mergulhar fundo na escritura para extrair o maior numero de informação daquele texto, sem comprometer a integridade do mesmo com nossa percepção particular.

Nessa exibição o pregador fará com que os ouvintes entendam o significado do texto bíblico. Desse modo, o ouvinte será capaz de ouvir a voz de Deus graças a essa apresentação.

Veja a seguir algumas dicas para realizar uma boa pregação expositiva.

Ore

A oração deve nos acompanhar a cada passo da preparação do sermão.  É vital manter um espírito de oração: antes do púlpito, durante o sermão e até quando já descermos dele.

Leia as biografias e autobiografias dos maiores pregadores ao longo dos séculos e você descobrirá que essa foi a grande característica de suas vidas.

Eles sempre foram grandes homens de oração e dedicaram uma quantidade considerável de tempo à oração diária. Na biografia de Wesley diz que ele orava duas ou três horas por dia, Lutero costumava dizer que se deixar de empregar duas horas em oração todas as manhãs, o diabo terá vitória o dia inteiro.


Leia e releia o texto

É importante ler o texto que vamos pregar várias vezes, até praticamente o memorizarmos.

Além do contexto imediato, devemos examinar atentamente os capítulos anteriores e subsequentes da passagem.

Não podemos pregar em Romanos 2 sem ler Romanos 1 e Romanos 3. Sem essa leitura mais ampla, será muito difícil seguir o fio de pensamento do autor.

É muito interessante fazer a leitura de diferentes versões do mesmo texto, é muito fácio encontrar diferentes traduções da Bíblia na internet, essa leitura vai revelar facetas do texto que podem não ter cido percebidos em uma determinada versão.


Considere o gênero literário

Outra coisa a ter em mente é o estilo literário do livro.

É um livro histórico como Crônicas ou poético como os Salmos ou sapiencial como Eclesiastes ou doutrinário como as epístolas?

Compreender o gênero literário nos ajudará a interpretar melhor as passagens de tais livros.

Não podemos, por exemplo, interpretar literatura apocalíptica ou literatura poética da mesma maneira que textos históricos.

De um modo geral, é mais fácil e menos perigoso pregar em uma carta doutrinária do que em um texto poético, uma vez que as epístolas doutrinárias são geralmente muito mais claras e menos simbólicas.

Estude o contexto histórico

É praticamente impossível entender a profundidade de várias partes da Bíblia sem levar em conta o momento histórico em que foram escritas.

A identidade do autor do livro deve ser levada em consideração para entender como ele pensava e raciocinava, para quem e por que estava escrevendo.

Isso explicará várias características distintivas do livro.

Se compararmos o Evangelho de Marcos com o de Mateus, veremos como Marcos destaca o dinamismo e o poder de Jesus ao longo de todo o seu livro, como foi dirigido aos romanos

Enquanto Mateus se preocupa muito mais com o modo como Jesus cumpriu a lei judaica, ou seja, perfeição porque ele escreveu para judeus convertidos ao cristianismo.

Todos esses dados produzem uma leitura mais rica do livro em questão e permitirão que você seja capaz de fazer bem uma pregração expositiva.

Analise a ideia central e a gramática com cuidado

Se você conhece bem o texto, será mais fácil discernir a idéia central e as idéias subordinadas apresentadas em sua passagem.

Em quase todos os casos, as palavras mais importantes em qualquer versículo da Bíblia são verbos.

Você também deve prestar atenção a adjetivos, substantivos, advérbios e conjunções, mas o significado do verso geralmente reside em seus verbos.

 É uma boa idéia escrever os versículos em uma folha, colocando a idéia principal acima e as idéias subordinadas abaixo, usando linhas, setas, desenhos etc.


Conecte sua passagem com a teologia bíblica.

Cada texto faz parte de um determinado livro, mas também tem um lugar na história da salvação.

É sempre benéfico conectar o texto que estamos estudando com Jesus Cristo. Às vezes, o texto nos fala explicitamente sobre Cristo. Na verdade toda a escritura aponta para Cristo.

Dessa forma, não será necessário adicionar esta etapa, mas em outros livros onde o Senhor não é mencionado, é preciso pensar em como essa passagem se relaciona com ele.


Desenvolva anotações

Depois de esclarecer as principais idéias do texto, podemos continuar fazendo nossas anotações.

As anotações nos ajuda a pregar no culto.

Infelizmente, muitos sermões atuais seguem dez mil direções diferentes e, quando a mensagem termina, ninguém ouviu nada.
Isso não é culpa da congregação na verdade é falta de preparação por parte do pregador.

Podemos fazer um maravilhoso estudo literário, histórico e gramatical, mas se não estruturarmos bem nossos pensamentos, nossos ouvintes deixarão a reunião confusos. O objetivo do pregador deve ser que as pessoas entendam bem a mensagem para que, quando retornem para casa, saibam claramente do que a Bíblia está falando.

Então, aprendeu o que é uma pregação expositiva?

Gostou das dicas da pregação expositiva?

Deixe seu comentário contando sobre suas dúvidas ou experiências com a pregação expositiva. 

Pr. Márcio Júnior

Siga-me nas redes sociais:



2 Comments

  1. […] Leia também a mensagem O que é um sermão expositivo […]

  2. […] a coisa errada é não incluir a bíblia na mensagem ou fazê-lo de forma tendenciosa. Já os sermões expositivos nascem da necessidade de explicar exaustivamente o texto sagrado, diferente do […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *